Primeiro Aniversário do Editorial Jurídico

Primeiro ano de vida do Editorial Jurídico

Web Summit em Lisboa pela segunda vez

Caro leitor o Editorial Jurídico celebra um ano de vida em 6 de novembro de 2017, este post celebra consigo o seu primeiro ano.

 

Fonte pinterest.pt

Obrigada a si caro leitor. A si se deve a nossa vivência.

Graças a si o Editorial tem no momento 12122 visitas, e o “contador de visitas” do Editorial só faz um ano no dia 9 de dezembro do corrente ano, data em que foi “colocado” on line.

Fazemos um ano, perdoem a ousadia, fazemos um ano com a Web Summit Lisbon, pois foi a 6 de novembro de 2016 que o Editorial entrou on line e com um post sobre a Web Summit Lisbon (http://editorialjuridico.org/2016/11/06/web-summit-lisbon/).

Fonte globgdelproject.org

Web Summit que mudou Lisboa, e quer se queira quer não, mudou o mundo com as startups.

PARABÉNS a nós.

 

Alerta “Drone”

Já existe legislação

Os drones são uma realidade inegável, são resultado do desenvolvimento imparável das tecnologias associadas à evolução e crescimento acelerado da indústria ligada aos sistemas de aeronaves remotamente pilotadas para fins civis (http://www.droneclub.pt).

Fonte web

Os drones podem ser utilizados para fins muito variáveis, de recreio ou lazer (a mais das vezes são brinquedos sofisticados), para fins desportivos ou de competição, para fins comerciais ou profissionais e até para fins militares.

Mas afinal o que são drones?! Genericamente, drones são aeronaves civis não tripuladas e controladas por um controlo remoto ou aeronaves com capacidade para operar autonomamente.

É neste enquadramento que o Editorial aborda o assunto “drones”. E falar de drones pode parecer matéria inócua, e até divertida, todavia, o seu uso pode não ser inofensivo. Ou seja, o incremento e a propagação do uso de drones mostrou que pode resultar em problemas de séria gravidade.

Fonte web

Pois, este ano «… foram comunicados ao Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAA) oito incidentes com drones no espaço aéreo português. O último caso aconteceu no passado domingo. Eram 13h41 quando a tripulação de um voo comercial com quase duas centenas de pessoas a bordo, que se preparava para aterrar em Faro, avistou um drone de cor vermelha. O aparelho não chegou a tocar na aeronave, mas passou “incrivelmente perto da asa direita”, revela a comunicação feita ao gabinete … Os pilotos chamaram a polícia do aeroporto, que por sua vez informou a GNR.”», mas, a GNR informou que, como não havia legislação o responsável seria alertado para o incidente e nada mais do que isso (informação retirada de http://ionline.sapo.pt/521743). Mas, atenção, hoje, já existe legislação. Continuar a ler Alerta “Drone”

Depois da euforia o que ficou da Web Summit?

Como é sabido “O” evento Web Summit terminou no passado dia 10.11.2016. Depois dos 4 dias de euforia anestesiante escreveu-se e rescreveu-se o que se passou, falou-se dos discursos, fizeram-se resumos dos acontecimentos e, inevitavelmente, a avaliação de quem opina sobre a Web Summit. Uma dessas opiniões é inquietante com a sua “visão pessimista”: a Web Summit não vai trazer nada a Lisboa, a não ser o turismo em novembro. Nada vai mudar em Lisboa, alguém o disse.

Será que se profetiza a desgraça? Não sei … sabemos que não há milagres, portanto, vamos colocar os pés no chão e “sonhar”. Sonhar com a realidade tangível, sonho “fazedor das coisas” e não feito de meras palavras que, essas, leva-as o vento.

Ora, a Web Summit aconteceu em Lisboa (Portugal). Facto que trouxe algum(uns) “caos” à cidade, por exemplo, no Metropolitano de Lisboa. Foi difícil … mas lá se passou. Pois, o acréscimo de mais de 53.000 pessoas na mesma cidade a convergirem, quase todas elas, nos mesmos dias, sensivelmente à mesma hora, para o mesmo local, só pode tornar aceitável o facto dos transportes estarem apinhados com o intenso tráfego humano! Certo?

A Web Summit não muda Lisboa! Li-o numa “notícia” sobre o assunto. Será que a Web Summit não muda Lisboa? Como é que “O” evento pode mudar Lisboa? Pode e começa por já ter começado a mudar … mudou a perceção de Lisboa no mundo da globalização, pois, estiveram em Lisboa participantes oriundos de 166 países. Muitos não sabiam onde se situava Portugal no mapa-mundo ou, talvez, sequer que Portugal existia. Outros podem ter ouvido falar mas nunca cá tinham estado, como Joseph Gordon-Levitt – o famoso ator norte-americano – orador na Web Summit, confessou que não conhecia Lisboa.

Joseph Gordon-Levitt
Joseph Gordon-Levitt

A Web Summit muda Lisboa, também, na perspetiva ganha-se com isso … Sim, palavra passa palavra, publicidade versus marketing, gratuitos. Com a Web Summit estamos a promover turisticamente Lisboa (não será só turismo em novembro!), estamos a promover Portugal a todos os níveis. Continuar a ler Depois da euforia o que ficou da Web Summit?

Web Summit Lisbon

Web Summit veio de Dublin, Irlanda, para ficar em Lisboa, pelo menos até 2018, com possibilidade do acordo se estender até 2020.

Mas, o que é a Web Summit?

Web Summit
Web Summit

A Web Summit é “O” acontecimento da tecnologia.

O evento ímpar do mundo da tecnologia que reúne propositadamente todos os condimentos tecnológicos com a vontade de fazer negócios. Evento que permite realizar reuniões entre investidores, predispostos, a investir milhões em tecnologia, e empreendedores, repletos de ideias luminosas que transbordam projetos tecnológicos inéditos e inovadores à espera de “ganharem vida”. É um universo infinito de conhecimentos, técnica e experiências que se cruzam com os “fazedores de impossíveis”. O resultado da Web Summit Lisbon é um infindável mundo de “transformações” a todos os níveis, a nível social, a nível socializante das relações (inter)pessoais, a nível da economia financeira, do mundo empresarial e negocial, e, entre outros, a nível do Direito que no seu escopo esboçará o seu próprio caminho jurídico.

Bem vinda Web Summit.